Bestiário: Mitologia Grega

Olá, Freaks!

Todos aqui devem conhecer um pouco sobre mitos e lendas da Grécia Antiga. Mas nesse post, iremos dar destaque aos seres mais horrendos e assustadoras da Mitologia Grega! Afinal, se não fossem por eles, que aventuras nossos heróis mais estimados teriam?

Corre para aproveitar e dar uma conferida com a gente! 😀

Cila

Poucos sabem sobre a trágica história de Cila (em grego Σκύλλα, Skýlla), a criatura monstruosa que habita o estreito de Messina, entre a Sicília e a península Itálica, juntamente com Caríbdis, em lados opostos do estreito. Porém, neste post falaremos apenas de Cila.

Cila era descrita como uma criatura horrenda, com 12 pés e 6 longos pescoços de serpentes, cada um com uma horrível cabeça e cada uma com três fileiras de dentes grossos e cerrados. E de sua cintura, 3 cabeças de cães raivosos latindo. Enquanto Caríbdis causava um enorme redemoinho da morte, Cila ficava escondida em uma gruta nas alturas, elevando as cabeças para fora do terrível abismo quando as infelizes vítimas se aproximassem o suficiente pra encontrarem com suas presas monstruosas.

O que alguns não sabem é que Cila, antes de se tornar um monstro horrendo, foi uma ninfa das águas, tão bela que segundo o poeta romano Ovídio, conquistou o coração de Glauco (divindade marinha). Cila, não correspondeu ao seu amor, pois a aparência de Glauco – cabelos verdes como o mar e cauda de peixe – a assustava e pôs-se a fugir e esconder-se pelas águas, cavernas submarinas e rochas, todas as vezes que o mesmo tentava se aproximar.

Até que Cila escondeu-se em um local tão inacessível que nem Glauco foi capaz de encontrá-la. Devido ao grande amor que nutria por ela, foi buscar ajuda com Circe em seu lar, na Ilha de Ea, pois queria ter a amada ao seu lado a todo custo. A feiticeira promete ajudá-lo, mas no meio do caminho os dois acabam por se envolver romanticamente. Circe acaba se apaixonando pelo tritão, mas este tem olhos apenas para Cila e acaba por causar a ira enciumada da Deusa.

Recorrendo a sua feitiçaria, Circe decide transformar Cila em uma criatura tão horrenda e pavorosa, que nem mesmo Glauco seria capaz de amá-la. E assim, derrama uma poção venenosa nas águas da fonte onde a ninfa costumava banhar-se. E durante seu habitual banho nas águas da fonte, Cila acaba por ser transformada na figura horrenda a qual foi descrita no início da história, onde em grande desespero busca a ajuda de Glauco, mas este se recusa a ajudá-la dizendo que não existe mais amor, só aversão a sua aparência medonha.

Vitoriosa em sua perversidade, Circe esperou por Glauco em Ea, se decepcionando quando o mesmo não quis vê-la após o que fez com sua bela amada. E quanto a Cila, sem o auxílio daquele que tanto a amava e sem esperanças, refugia-se longe de todos no Estreito de Messina, aterrorizando os mortais onde com o tempo, passa a ser o monstro em que ficou conhecida até os dias atuais.

Minotauro

Dentre os personagens mais conhecidos da mitologia grega, provavelmente o mais famoso dos monstros, temos o Minotauro (em grego: Μῑνώταυρος, Minotaurus), terror da Ilha de Creta. Era conhecido como um ser com cabeça e cauda de touro e corpo de homem.

Tudo começou quando o Rei Minos assumiu o trono de Creta e passou a combater seus irmãos pelo direito de governar a Ilha. O Rei fez então um pedido ao Deus dos mares: que lhe enviasse um touro branco em sinal de aprovação ao seu reinado. E assim foi feito, um majestoso touro branco emergiu do Mar Egeu. Porém, foi ordenado que a criatura fosse sacrificada em homenagem a Poseidon, mas, Minos decidiu desafiar a vontade dos Deuses e manteve o animal vivo devido a sua beleza, sacrificando um touro qualquer em seu lugar. Por sua insolência, Minos foi punido. A Deusa do amor, Afrodite, fez com que Pasífae (esposa do Rei Minos) se apaixonasse perdidamente pelo animal.

Pasífae, foi procurar a ajuda de Dédalo, para que pudesse realizar o seu desejo. O artesão então, construiu uma vaca de madeira na qual ela pudesse se esconder em seu interior, e assim foi feito e dessa união surgiu o Minotauro, filho da Rainha Pasífae com o touro branco.

Durante sua infância, a Rainha conseguiu cuidar dele, mas com o tempo a criatura foi se tornando cada vez mais feroz, e sua fome só era saciada devorando carne humana. Por não ter coragem de matar o ’filho’’ de sua esposa, Minos pediu a Dédalo que construísse um gigantesco labirinto abaixo de seu castelo em Cnossos, para abrigar a criatura monstruosa em que o Minotauro havia se tornado.

Anos mais tarde, Minos derrotou Atena em uma guerra e como vingança a Deusa da Sabedoria ordenou em que todo ano sete moças e sete rapazes atenienses fossem enviados em sacrifício para o Labirinto. E após três anos de sacrifício, veio a ocorrer a história mais famosa sobre a criatura, onde Teseu decide enfrentar o Minotauro.

Segundo o relato, Teseu se apaixona pela filha do Rei, Ariadne. A princesa correspondia a paixão do herói, e pôs-se a ajudá-lo a derrotar o monstro, e assim, entregou-lhe uma espada encantada para matá-lo e também um novelo de lã para que o pudesse encontrar o caminho de volta. E ao avistar a criatura devorando um dos atenienses, apunhalou-o pelas costas. Minotauro foi derrotado e os atenienses resgatados por Teseu e levados de volta ao castelo.

Medusa

Medusa (em grego: Μέδουσα, Médousa) foi a vilã mais injustiçada da mitologia grega, com seus cabelos de cobra e olhar petrificante, transformando em pedra qualquer um que a olhasse. A versão mais conhecida de sua história descreve Medusa como uma bela jovem que outrora competiu com a beleza da Deusa Atena e que por isso foi transformada em górgona por ela. Porém, o poeta romano Ovídio conta que na verdade, Medusa foi uma bela donzela com cabelos cacheados transformada em monstro após um infeliz e horrendo acontecimento.

Antes de ocorrer a transformação, Medusa foi sacerdotisa de Atena e vivia com suas irmãs em seu templo. Sendo a única mortal dentre todas, chamava a atenção dos homens por sua imensa beleza e por isso, acabava por enfurecer a Deusa, já que iam ao templo apenas para observar a formosura da jovem.

Como toda sacerdotisa, respeitava os ensinamentos da Deusa da sabedoria e manteve-se fielmente casta para exercer o sacerdócio.

Infelizmente, passou a chamar também a atenção de Poseidon. O Deus dos Mares e Atena possuíam uma antiga rixa. Pois Atena, e não seu tio, foi escolhida como padroeira da antiga Ática (conhecida como Atenas após o ocorrido).

Poseidon sabia muito bem que as sacerdotisas de Atena deveriam ser puras, mas o Deus já estava cansado de suas investidas não darem em nada. E tomado pelo desejo e a vontade de irritar sua sobrinha, violou Medusa no templo, em frente a estátua de Atena. E a Deusa, furiosa, castigou-a, transformando a bela sacerdotisa no monstro horrendo que as histórias descrevem.

Devido a sua maldição, Medusa não poderia ter mais contato com outras pessoas, pois um simples olhar para a criatura era o suficiente para transformar qualquer um em pedra. Dessa forma, foi condenada a vagar em solidão, refugiando-se em uma caverna no extremo oriente da Grécia.

Com o tempo, heróis vinham de todas as partes tentando arrancar sua cabeça para utilizar como arma. E o semideus Perseu, auxiliado pelos deuses consegue decapitar Medusa.



Referência:
Odisseia, por Homero: https://cutt.ly/amazon-odisseia-homero;

Circe: Feiticeira, Bruxa. Entre o castigo dos deuses e o amor dos homens, por Madeline Miller: https://cutt.ly/Circe-amazon;

Criaturas da Mitologia Grega, por Nickkingg: https://cutt.ly/criaturas-mg-Wattpad ;

O Monstruoso na Literatura e outras Artes, por João Carlos F. A. de Carvalho e Ana Alexandra S. de Carvalho: https://cutt.ly/sapientia-ualg-pt;

https://cutt.ly/Glauco-e-Cila-MitologiaGregaBr;
https://cutt.ly/ah-uol-medusa;
https://cutt.ly/todamateria-medusa;
https://cutt.ly/hypeness-medusa-;


Fonte de capa: https://lorenzocafebar.com/#cellini-venus-sculpture

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *