Horror em Amityville: uma história real

Olá, Freaks!

O dia de hoje é marcado por uma tragédia que aconteceu em uma vila na cidade de Nova Iorque chamada Amityville, que inspirou filmes e livros durante 46 anos. Porém, muitas pessoas conhecem a história retratada nos cinemas, mas não sabem que ela é baseada em fatos reais e o que realmente aconteceu. Ficou curioso? Então, continua lendo até o fim que vamos contar um pouco mais sobre esse acontecimento perturbador!!!

Tudo se passou na madrugada de 13 de novembro de 1974 na casa de número 112, em Amityville, onde vivia a família DeFeo. Os membros consistiam em Ronald e Louise DeFeo, e seus cinco filhos Dawn (18), Allison (13), Marc (12), John Matthew (9) e Ronald Joseph Jr (23). Todos foram assassinados a tiros enquanto dormiam, com exceção do filho mais velho, Ronald Jr — cujo apelido era Butch.

Butch entrou em um bar chamado Henry’s Bar, por volta de 18h30, relatando que seus pais haviam sido assassinados, o que levou um grupo de pessoas até a casa e lá puderam conferir a veracidade da história ao se depararem com um dos crimes mais violentos, chocantes e famosos dos Estados Unidos. Logo a polícia foi chamada. Os policiais revistaram o local e Ronald Jr., o único sobrevivente, foi levado a delegacia para um interrogatório. Lá, o rapaz alegou que sua família havia sido assassinada pela máfia, porém, havia inconsistências em seu depoimento, o que levantou uma dúvida nos policiais.

No dia seguinte, Butch mudou seu relato sobre o que havia acontecido e confessou ter assassinado sua família, ele disse: “Quando comecei, não consegui parar. Foi tão rápido”. Ele ainda contou que após ter cometido o crime foi tomar um banho, se livrou de suas roupas ensanguentadas e foi para o trabalho normalmente.

Segundo a autópsia, o pai foi o primeiro a morrer enquanto ainda dormia. Depois foi a vez da mãe, que chegou a acordar com o barulho dos tiros, mas foi baleada no peito logo em seguida. O assassino então seguiu para o quarto dos irmão, Marc morreu na hora enquanto John agonizou por alguns minutos antes de falecer. Allison e Dawn foram mortas quando já estavam acordadas.

Seu julgamento aconteceu em outubro do ano seguinte ao ocorrido e, durante o processo, seu advogado afirmava que ele sofria de insanidade, que ouvia vozes em sua cabeça e elas o teriam motivado a cometer os homicídios. Butch foi avaliado por um psiquiatra que o diagnosticou com transtorno de personalidade antissocial, mas ele garantiu que o rapaz sabia do que estava fazendo ao realizar o crime.

Ronald DeFeo Jr. foi declarado culpado dos assassinatos e sua sentença foi seis penas consecutivas de prisão perpétua, de 25 anos cada. Ele nunca revelou qual foi a real motivação que o levou a matar sua família. Ele cumpre pena na prisão de segurança máxima Sullivan Correctional Facility, em Fallsburg, Nova York.

Sobre o assassino

Butch sofria desde criança com os abusos de seus pais e por ser o filho mais velho era, entre seus irmãos, o que mais sofria com isso. Por conta disto, cresceu um adolescente problemático e desenvolveu transtorno de personalidade. Seus pais o enviaram para uma consulta com um psiquiatra, mas não obtiveram resultados positivos. Sendo assim, resolveram lidar com o problema de outra forma: com bens materiais, como presentes e dinheiro. Ao completar 14 anos, Ronald Jr. ganhou uma lancha de presente de aniversário.

Logo, Butch se acostumou a ganhar dinheiro e passou a roubar caso os pais recusassem lhe dar o que pedia. As coisas foram piorando quando, aos 17 anos, o rapaz foi expulso da escola devido ao uso de drogas e frequentes episódios de agressão. Foi então que ele começou a usar drogas regularmente — mais especificamente LSD e heroína.

Era comum haver brigas entre DeFeo Jr. e seus pais, porém uma delas se destacou. Durante uma discussão o rapaz pegou uma espingarda que tinha seu quarto, a apontou para o rosto de seu pai e após ordenar que sua mãe se retirasse, atirou contra seu pai. Porém, a arma estava descarregada. Esse ocorrido já chama atenção para o perfil instável de Butch.

Outras versões do crime

Após ser culpado pelos assassinatos da família, Butch deu outras versões para o crime, mas sempre cheias de controvérsias. Em uma delas ele afirmou que sua irmã Dawn matou seu pai e todos os irmãos e ele apenas matou a mãe. Ele também deu uma explicação dizendo que sua irmã e um homem desconhecido mataram os pais, ela sozinha havia matado os irmãos e que ele matou Dawn por acidente.

Em mais uma versão, Butch alegou que a ideia de matar os pais havia sido de sua irmã Dawn durante um momento dos dois juntos com amigos, ela havia sugerido o crime e primeiramente ele não havia aceitado participar, mas acabou mudando de ideia. Dois amigos também participaram, enquanto um ficou de guarda, Ronald, sua irmã e o outro amigo mataram os pais.

Ainda segundo o mesmo relato, não estava nos planos matar as crianças. Ronald Jr. foi atrás de um dos amigos que se desesperou e fugiu. Foi então que Dawn matou seus irmão para se livrar de testemunhas. Houve uma discussão entre ela e o irmão, assim que ele voltou para a casa e viu o que havia acontecido. Eles brigaram pela arma e ela desmaiou, ele então a colocou na cama e a assassinou.

Especialistas que averiguaram o caso garantem que não havia evidências de que houve briga entre as vítimas e que os vestígios de pólvoras encontrados nas roupas apontavam que os disparos foram feitos a queima roupa, o que torna inválida todas as versões contada por Butch. O juiz do caso chegou a declarar que: “O testemunho do acusado de que ele não atirou e matou os membros de sua família é improvável e não merece crença”.

A casa foi posta a venda e um ano depois dos acontecimentos uma nova família se mudou para o local. Os novos residentes afirmaram que ocorria diversos fenômenos paranormais aterrorizantes. Eles chegaram a chamar os investigadores paranormais Ed e Lorraine Warren para investigar o caso (clique aqui para ler mais sobre), mas como o casal não obteve sucesso em resolver o problema, então a família acabou saindo da casa. Porém, os moradores que vieram em seguida além de mudarem o número da casa de 112 para 108, afirmaram que a vida ali foi tranquila durante mais de dez anos.

E aí, você sabia de todos os detalhes por trás dessa história macabra? Conta para gente aqui nos comentário!!!

Referências:

Aventuras na História: https://bit.ly/36BPSWJ

Segredos dos Mundos: https://bit.ly/2IyJnvF

Época Negócios: https://glo.bo/2UrujCt

Foto de Capa: https://bit.ly/3nlaglG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *