Hello, Freaks!

Existe uma personagem que ao longos dos anos está presente em diversos mitos e possui diferentes formas: mulher, demônio, serpente e deusa. Seu nome também está ligado a bruxaria e é uma das figuras femininas mais antigas do mundo. Estamos falando de Lilith!

Há várias versões sobre a história dessa mulher que já foi cultuada como deusa, rebaixada a um demônio e até ignorada devido ao machismo. Seu nome no hebraico, derivado do aramaico (língua semítica) lilitu que na Babilônia e na Assíria, significa demônio feminino. Já a etimologia judaica derivou o nome do aramaico layil, que significa “noite” a “lua negra” que corresponde a Lâmia – uma rainha da Líbia que se tornou um demônio que devorava crianças – da mitologia grega.

A figura de Lilith está nas gravuras dos amuletos de Arslan Tash (século 7 a.C.), o registro mais antigo conhecido. Porém, há historiadores que acreditam que ela tenha sido citada antes na demonologia suméria. Na Epopeia de Gilgamesh – poema mesopotâmio de 2100 a.C – Lilith é possivelmente mencionada como um demônio. Mas ela também já foi cultuada pelos babilônios como deusa da fertilidade, comparada à lua negra.

No alfabeto de Ben Sira (séculos VIII e X a.C) ela é descrita como sendo a primeira esposa de Adão. Ela também aparece no Talmude (coletânea judaica de livros sagrados) e na mais famosa aventura mística da tradição judaica conhecida como Zohar – Livro do Esplendor, onde é descrita como um succubus (demônio em forma de mulher que invade os sonhos de homens para seduzi-los e sugar suas energias vitais).

A versão mais conhecida é de que Lilith foi a primeira esposa de Adão, criada do barro, à noite. Segundo o mito a relação entre eles foi marcada por conflitos, pois Lilith era contra a submissão que era imposta sobre ela por seu marido, sobretudo por não querer ficar por baixo dele durante as relações sexuais. Como não aceitava ser tratada de forma inferior por Adão, ela decidiu abandonar o Éden e fugiu para o Mar Vermelho. Eva foi criada para substituir a primeira esposa e possuí características opostas a Lilith como sendo obediente e submissa.

Essa atitude fez com que sua existência fosse ocultada em algumas edições da Bíblia e do Torá (texto sagrado do judaísmo). Na Bíblia cristã, Lilith já foi citada no Livro de Isaías (34:13-14):

E subirá nos seus palácios espinheiros, urtigas e espinheiros em suas fortificações; e será uma morada de chacais, capim para filhas de avestruzes. E demônios encontrarão chacais e demônio [em forma de bode] diante de sua gritaria chamará; certamente lá Lilith repousou e achou para ela lugar de repouso (…)

Porém, devido a diversas traduções ela foi reduzida até virar “animal noturno” ou “coruja”, mas há vestígios que comprovam sua existência nesta passagem. Em alguns textos hebraicos, ela é descrita como uma mulher com asas e atributos semelhantes a uma serpente, por isso, é possível associá-la a serpente do Éden.

Em outras crenças judaicas Lilith é conhecida como um demônio da noite com longos cabelos que voa para atacar homens que dormem sozinhos e durante o sono provoca-lhes sonhos eróticos. A crença em Lilith também era usada para justificar mortes inexplicáveis de recém-nascidos.

Lilith é presentada de diversas formas em seriados e games, mas sempre relacionada a sua versão demoníaca:

Na série da Netflix, O Mundo Sombrio de Sabrina, uma das principais personagens é a professora Mary Wardell, que na verdade é Lilith, também conhecida como Madame Satan.

A atriz Lesley-Ann Brandt que interpreta a demônia Mazikeen também dá vida a Lilith em um dos episódios da quinta temporada da série Lucifer.

Lilith é uma personagem importante em Diablo IV, ela é filha de Mephisto de Diablo II.

Na série Supernatural, Lilith aparece em algumas temporadas no corpo de uma mulher adulta ou em crianças. Ela é um demônio e serva de Lúcifer.

No jogo Darkstalkers, Lilith ou Morrigan Aensland é um súcubo muito especial e uma personagem muito importante.

E aí, gostou de saber mais sobre a Lilith? Conta para gente se você já conhecia essa figura incrível e símbolo de poder feminino!!!

Referências:

O Mito de Lilith e a Integração do Feminino na Sociedade Contemporânea por Antonio Maspoli de Araújo Gomes e Vanessa Ponstinnicoff de Almeida, https://bit.ly/382CWv6

Jardim do Éden revisitado por Roque de Barros Laraia, https://bit.ly/2HVpAWX

O Possível Entrelaçar do Eterno Mito Feminino: Eva e Lilith em Pandora por Ester Zuzo de Jesus, https://bit.ly/3mGPInd

Superinteressante: https://bit.ly/3kTmoJG

Jewish Christian Lit: https://bit.ly/34Lcm7I

Foto de capa: https://bit.ly/2TM2HHI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *