Olá, Freaks!!

Em comemoração ao Halloween acreditamos que é interessante conhecer um pouco sobre a origem desse dia mágico e assustador. Por isso, trouxemos aqui para vocês um breve resumo de onde surgiu essa tradição tão comemorada mundo afora. Esperamos que gostem e se encantem tanto quanto nós! 😀

Vocês já ouviram falar sobre o Samhain?

Sendo celebrado originalmente como uma festa sazonal, o Halloween deve muito de seus costumes também, à celebração da Deusa romana Pomona e aos costumes da Igreja Católica primitiva. O feriado celebrado hoje na América, é a mistura dessas três tradições.

Sua história remonta aos tempos antigos nas regiões em que os Celtas habitavam – atualmente o norte da França, Irlanda, Escócia, Inglaterra, Bretanha e País de Gales. Séculos antes do nascimento de Cristo, celebravam dois grandes festivais sazonais: o início do inverno e o início do verão.

Na Europa o inverno chegava por volta de novembro e durava cerca de seis meses. Seu primeiro dia era considerado o início do Ano Novo e era comemorado como tal. E durante o início desse período ocorria o festival sazonal de Samhain (Fim do Verão), onde selecionavam os melhores rebanhos para o abrigo do frio, enquanto os outros eram massacrados em grande festa e celebração, compartilhada com os espíritos dos ancestrais.

 
Era o mais sagrado dentre todos os festivais Celtas, pois acreditavam que em sua véspera os mortos ressuscitariam e que demônios ancestrais, fantasmas e fadas estariam livres para vagar pela terra. Seus rituais ajudavam a conectar-se com seus ancestrais.

Por acreditarem que os espíritos tinham conhecimento da vida após a morte, os sacerdotes conhecidos como Druidas, afirmavam que em sua véspera as magias de previsões possuíam mais poder e assim os presságios poderiam ser lidos com mais transparência, e dessa forma adivinhavam a saúde da tribo, qual era o melhor momento para praticar mágica ou como curar uma doença.

Samhain foi marcado como a temporada dos espíritos, sendo uma época de noites longas, com a escuridão chegando mais cedo. Logicamente, foi uma época assustadora para um povo supersticioso em relação ao oculto e que estava sujeito às forças da natureza e de fato, uma noite mística.

Oferendas eram feitas ao mundo espiritual na expectativa de que os espíritos de seus entes queridos realizassem uma breve visita ao seu lar.

Comida e vinho eram servidos aos espíritos ancestrais, com um aconchegante fogo quente na lareira. E para evitar visitas indesejadas, qualquer espírito malicioso que fosse, os Celtas trajavam disfarces macabros para que dessa forma os espíritos vagantes os confundissem com um dos seus.

Também ocorria um desfile onde aldeões fantasiados em representação a alma dos mortos tentavam enganar os espíritos errantes, levando-os aos limites das cidades.

Podemos dizer que o Samhain era parte vital da Cultura Celta, onde seus rituais foram passados de geração em geração por meio da tradição oral dos Druidas.

Grande parte da essência das tradições do Halloween americano podem ser encontradas nessas celebrações ancestrais: desfiles de máscara, fogo da adivinhação e magia espiritual.

No entanto, outros elementos como romance e a tradição da maçã, possuem origem em outra parte do mundo. Pouco antes da chegada de Cristo, o território dos Celtas foi conquistados pelos romanos, e as práticas dos Druidas de Samhain misturaram-se com suas crenças mitológicas.

Pomona e a crença dos romanos.

No dia 1 de Novembro os romanos realizavam o Festival de Pomana, Deusa dos pomares e da colheita. Em sua tradição, a maçã era vista como símbolo de amor e fertilidade e assim, estava sempre presente em suas celebrações, além de frutas do pomar como uvas e também nozes.

Por ser celebrado após a colheita ter sido armazenada para o inverno, coincidiu com as festividades do Samhain dos Celtas. Romanos e Celtas habitavam as mesmas aldeias nessa época, facilitando com que as duas tradições misturassem-se entre si. Com essa junção, as origens puras dos festivais de Samhain e de Pomana foram ofuscadas.

Dessa união surgiu o que podemos chamar de Halloween em sua forma antiga: conhecido como a noite dedicada aos mortos e à adivinhação, e para o romance também. Porém, com a chegada do Cristianismo, um casamento de tradições maior ainda ocorreu. As tradições pagãs ficaram frente a frente com a nova religião que emergia ao amanhecer do primeiro século d.C.

Constantino e a chegada do Cristianismo.

Durante o primeiro e quarto século, o Imperador Constantino trouxe o Cristianismo por todo Império Romano, e consequentemente, dos Celtas também. Após o Cristianismo ter sido oficialmente declarado legal, milhares de pagãos foram batizados no que era conhecida como a nova religião. O reino panteísta da natureza romana e mitológica foi superado pela Santíssima Trindade.

Embora fosse contra as práticas pagãs dos seus inimigos, foi também responsável pelo fortalecimento do Halloween pagão nas regiões em que viviam os Celtas. Pois, ao invés de acabar com o paganismo de vez, certos líderes viram nesse contexto uma boa oportunidade: a de assimilar os ritos pagãos existentes em seus rituais cristãos.

A Igreja tentava substituir o Samhain na crença de seus novos convertidos, e por mais que tenha levado muitos anos para fazer a transição, as comemorações do Samhain foram aos poucos assimiladas ao Dia de Todos os Santos.

Ironicamente, a contribuição da Igreja Católica para a celebração popular do Halloween foi grande, já que durante os tempos medievais, nomeou o Dia de Todos os Santos como All Hallows, tornando a noite anterior a Hallowe’enm, e finalmente no popularmente conhecido Halloween.

Mais tarde, quando os europeus imigraram para outros países do mundo, como a América, esses costumes foram difundidos em várias culturas, dando origem ao Halloween que conhecemos atualmente.

Curiosidades

  • O Samhain também era conhecido como um dos quatro festivais do fogo do calendário Celta. Onde observavam que o sol ficava mais fraco durante os meses de inverno e temiam que os deixassem para sempre na noite fria de inverno.
  • A celebração romana da colheita do pomar contribuiu com a abundância de maçãs e nozes que ainda fazem parte do Halloween até hoje.
  • É conhecido como o Sabbat mais importante para os praticantes da bruxaria. Celebrando nessa data a Deusa em sua face escura, como a Anciã, busca o contato com os espíritos de familiares falecidos e os ancestrais.

Referência:
HALLOWEEN: An American Holiday, an American History , por Leslie Bannatyne, https://cutt.ly/An-American-Holiday; https://cutt.ly/Celtic-Samhain-Festival-ScotlandShop

Fonte da capa: https://cutt.ly/tumblr-samhain

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *